Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Artigos

v. 14 n. 4 (2019): DEZEMBRO 2019

Estabelecimento das curvas-chave, geração das séries de vazões e estimativa das vazões máximas outorgáveis nos postos da sub-bacia Guapi-Macacu, RJ

DOI
https://doi.org/10.20985/1980-5160.2019.v14n4.1585
Enviado
outubro 29, 2019
Publicado
janeiro 20, 2020

Resumo

A crescente demanda dos usos da água, o aumento populacional e a ocorrência de eventos climáticos extremos colocam a disponibilidade hídrica em foco. Em diferentes lugares do mundo, a água já não se encontra de forma tão abundante quanto há décadas. O abastecimento humano continua sendo a maior preocupação e a prioridade em políticas voltadas aos usos dos recursos hídricos, no entanto, setores como indústria, agricultura e energia demandam quantidades significativas de água, além da manutenção de sistemas ambientais dependentes desse recurso natural. Todas essas questões evidenciam o conflito vivido atualmente quanto ao uso e aproveitamento hídrico. Uma gestão integrada e sustentável são alicerces fundamentais para a manutenção qualitativa e quantitativa dos recursos hídricos. A outorga é um instrumento legal para a garantia do uso da água por tempo e volume determinado, seja para fins de captação ou lançamento de efluentes, e para sua aprovação, são necessários estudos hidrológicos para a estimativa da vazão a ser outorgada, também denominada de vazão máxima outorgável. O presente estudo definiu as curvas-chave e as séries de vazões diárias das estações fluviométricas inseridas na bacia hidrográfica do rio Guapi-Macacu, localizada na porção leste da Baía de Guanabara. Com base nos resultados, propõe-se a adoção de uma nova vazão máxima outorgável,visando um cenário de escassez hídrica que garanta o uso integrado e sustentável da água na bacia.

Downloads

Não há dados estatísticos.