Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Artigos

v. 12 n. 2 (2017): JUNHO/2017

Análise da percepção dos riscos ocupacionais entre trabalhadores de uma indústria do segmento têxtil, Minas Gerais, Brasil

DOI
https://doi.org/10.20985/1980-5160.2017.v12n2.1113
Enviado
novembro 24, 2015
Publicado
agosto 24, 2017

Resumo

Este estudo objetivou analisar a percepção dos trabalhadores de uma fábrica de produtos têxteis em relação aos riscos ambientais e possíveis agravos à saúde, visando proporcionar processo de reflexão-ação entre esses profissionais. Tratou-se de pesquisa descritiva, realizada no período de outubro de 2009 a janeiro de 2010, em uma fábrica de produtos têxteis, situada em cidade do interior do estado de Minas Gerais, Brasil. Participaram da pesquisa 24 funcionários considerados por seus respectivos turnos de trabalho, manhã ou tarde, e também por seus setores. Os trabalhadores relataram sobre os riscos que estavam expostos e conseguiram correlacionar com possíveis repercussões adversas à saúde. Os achados indicaram que 25% dos entrevistados sofreram algum tipo de acidente associados à exacerbação dos riscos ambientais, ocasionando lesões com maior ou menor gravidade. Em outro aspecto, os trabalhadores demonstraram ciência quanto à possibilidade da ocorrência de doenças ocupacionais adquiridades em longo prazo. Além disso, parcela correspondente a 29% dos entrevistados referiram possuir pelo menos um tipo de patologia, sendo que apenas um deles informou condição de doença preexistente ao ingresso para o exercício profissional na empresa, enquanto seis deles alegaram que haviam contraído a moléstia após início das atividades laborais especificamente no setor de trabalho dentro da empresa. Conclui-se que o ambiente laboral inadequado pode ser um agravante para as doenças ocupacionais, sendo imprescindível a busca da melhoria contínua em relação às medidas protetivas. Destaca-se, ainda, a necessidade de promover atividades relativas à ginástica laboral e outros estímulos para promoção da qualidade de vida e saúde dos trabalhadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.