Teoria da Complexidade sob a Perspectiva da Ambiência

Ernesto José Vieira, Henrique Cordeiro Martins, Carlos Alberto Gonçalves

Resumo


A visão simplista do mundo está sendo substituída por outra, essencialmente complexa e paradoxal. Comparando o pensamento mecanicista com o pensamento sistêmico, a ciência cartesiana acreditava que, em qualquer sistema complexo, o comportamento do todo podia ser analisado por meio de suas partes. Mas a ciência sistêmica mostra que as partes só podem ser entendidas dentro do contexto total. Os modelos organizacionais que, no passado, foram utilizados amplamente, não são eficazes em sistemas complexos, imprevisíveis e irregulares. Sob a pressão de uma competição intensificada, as organizações têm, cada vez mais, buscado flexibilidade, inovação, habilidades múltiplas. Esta grande pressão tem sido sentida especialmente na área da formação das estratégias. Este trabalho objetiva analisar teoria da complexidade sob a perspectiva da ambiência organizacional. A metodologia pode ser classificada como qualitativa, por meio de um estudo exploratório. Os resultados encontrados nas dez empresas pesquisadas validaram as proposições teóricas iniciais.


Palavras-chave


turbulência; perspectiva da ambiência; sistemas não lineares.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7177/sg.2015.V10.N1.A6

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

ISSN: 1980-5160

Rua Passo da Pátria 156, bloco E, sala Sistemas & Gestão, Escola de Engenharia, São Domingos, Niterói, RJ, CEP: 24210-240

Tel.: (21) 2629-5616

Correspondência: Caixa Postal LATEC: 100175, CEP 24.020-971, Niterói, RJ